WEBMAIL FALE CONOSCO
 
    HOME     MANICORÉ     AMAZONAS     NOTÍCIAS     POLÍTICA     EDUCAÇÃO     SAÚDE     OPINIÃO     ENTRETENIMENTO     FOTOS & FESTAS     PUBLICIDADE     QUEM SOMOS
BEM VINDO - MANICORÉ, .  

notícia publicada em 05/03/2014 às 19:06:55

Sul do Amazonas, Humaitá e Manicoré sofrem com a cheia do Rio Madeira
 

  
 

Nesta última terça-feira (4) o nível do Rio Madeira chegou ao nível histórico de 18,75 m. Além de Porto Velho, Guajará Mirim e Nova Mamoré em Rondônia, as cidades de Humaitá e Apuí, além do Distrito de Santo Antonio de Matupi, pertencente ao município de Manicoré, no sul do Amazonas, também sofrem as consequências da cheia do Rio Madeira.

A rodovia BR 319 que liga Porto Velho a Humaitá possui um ponto de inundação, no entanto, é possível a travessia devido aos trabalhos de engenharia realizados, mas é necessário muita atenção dos motoristas, devido à instabilidade do material utilizado e da força das águas. Além disso, existe uma cratera na rodovia onde o trânsito ocorre somente em meia pista.

A orla de Humaitá encontra-se inundada. A balsa da travessia do Rio Madeira na BR 230 (Transamazônica) encontra-se impossibilitada de operar, uma vez que a rodovia federal, encontra-se inundada desde a balsa até o quilômetro 10 e do quilômetro 19 ao 25. Várias casas de moradores que vivem às margens da Transamazônica, estão debaixo d´agua ou estão com águas chegando aos telhados. O transporte de pessoas é feito através de canoas e barcos que navegam desde o quilômetro 25 até Humaitá, por rios e pelas áreas inundadas.

Moradores de Apuí e do distrito de Santo Antonio de Matupi sofrem com o desabastecimento de gêneros alimentícios, higiene e limpeza, além da falta de combustível.

No último sábado (1) o vice-governador do Amazonas, Prof. José Melo esteve em Humaitá, para ver de perto como está a população. Na oportunidade anunciou a liberação de R$ 962 mil para o município e mais R$ 400 mil para Boca do Acre que também foi atingida pela cheia do Rio Madeira. Os recursos são destinados à minimização dos efeitos da cheia dos rios Madeira e Purus e deverão ser investidos em infraestrutura, transporte e saúde, já que as duas cidades encontram-se em situação de calamidade pública.

Em Rondônia, as chuvas são constantes e não há previsão de que parem tão cedo, há diversos pontos de alagamento ao longo das rodovias que levam ao estado vizinho do Acre (BR 364) e à Guajará Mirim, fronteira com a Bolívia. (BR 425).

O Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre-DNIT e a Polícia Rodoviária Federal-PRF, bloquearam a BR 364 por questões de segurança, devido à profundidade da lâmina d’água e deterioração da estrada na altura do Km 871, próximo a Mutum Paraná. Já ocorreram problemas com três caminhões que atolaram, além do risco dos veículos tombarem nesse trecho.

Máquinas do DNIT trabalham para liberar o tráfego no local no mais curto espaço de tempo possível, de modo a minimizar a possibilidade de desabastecimento do estado do Acre.


Fonte: Rondônia Ao Vivo



Comentários
 
 Mais notícias de Destaques
 
Manicoré faz carreata para receber Eduardo Braga (v. 264)
 
Festejo da padroeira de Manicoré começa neste Sábado (0... (v. 580)
 
Mortes e insegurança no Trânsito de Manicoré geram prot... (v. 789)
 
Audiência Pública debate regularização fundiária de ter... (v. 645)
 
Proposta do Vereador Roberval Neves para Fim do voto se... (v. 746)
    HOME     MANICORÉ     AMAZONAS     NOTÍCIAS     POLÍTICA     EDUCAÇÃO     SAÚDE     OPINIÃO     ENTRETENIMENTO     FOTOS & FESTAS     PUBLICIDADE     QUEM SOMOS

  

Travessa Pedro Tinoco - 137 - Centro - Manicoré - Amazonas
(97) 9145-9007
(97) 8804-2540

Email: gabrieljornalistaam@hotmail.com
Email: contato@folhademanicore.com.br

Jornalista Responsável
Gabriel Caetano
MTB 767/AM

Todos dos direitos reservados a Folha de Manicoré - Compromisso com a Verdade | Desenvolvido por MR MIDIA